Páscoa, pets e chocolates: como lidar?

Na época mais doce do ano, fica difícil resistir a um chocolatinho. E quando o seu pet também quer, o que fazer? Karina Venturelli, médica veterinária da Farmina Pet Foods, esclarece algumas dúvidas relacionadas ao consumo de chocolates por cães.

Cães podem comer chocolate?
Não. O cacau presente nos chocolates possui teobromina, que é uma substância que provoca intoxicação nos animais. Essa intoxicação pode afetar o sistema cardíaco, nervoso e respiratório dos pets, provocando arritmia e, em casos mais graves, morte. Quanto maior o nível de cacau no chocolate, maior o dano para o animal, ou seja, chocolate amargo e meio amargo podem ser ainda mais prejudiciais.

E o chocolate branco?
O chocolate branco é feito da manteiga de cacau e por isso possui menos teobromina que os escuros, o que o torna menos prejudicial à saúde do cão. Apesar disso, não é recomendável oferecer esse tipo de chocolate ao pet, pois a substância se acumula e permanece no organismo por até 6 dias.

O tamanho do cão influencia?
Sim. Quando menor o animal, maior os efeitos da teobromina nele. Por exemplo, 100g de chocolate amargo é mais perigoso para um cachorro de pequeno porte do que para um cachorro de grande porte.

Como posso evitar os pidões de chocolate?
A primeira medida é evitar comer doces e chocolates perto dos animais. Se o cão não vê, ele não pede. Como na época da Páscoa o consumo de chocolates aumenta, pode ficar difícil distrair o animal. Uma alternativa é oferecer petiscos elaborados especialmente para animais, afinal apesar de considerarmos os pets como membros da família, devemos sempre respeitar a natureza dos animais e não oferecer alimentos consumidos por humanos.

Feliz Páscoa! <3

 

Fechar Menu