Diversão

Kami, a nossa pequena Guerreira

Hoje a nossa publicação vai ser completamente diferente, quem vai escrever sou eu, a Cris, mãe da Sayuri e da Yumi, irmã do Boris, da Laila, da Kami, da Keiko e da Miyuki (qualquer dia compartilho com vocês nossa árvore genealógica gigante). E vou contar para vocês a história da Kami, nossa pequena guerreira.

Em um belo dia, há 14 anos atrás, uma certa vira-latinha invadia o local de trabalho dos meus pais, os outros funcionários tentaram colocar esse filhotinho para longe, então em uma tentativa frustrada a colocaram em uma pracinha do outro lado da rua. O que aconteceu? Ela voltou, passou por entre as grades do portão, desceu as escadas e entrou na recepção.

Quem resistiria à aquela carinha pidona, olhinhos cor de jabuticaba e meio quilo de pura perseverança e persistência? Não faço ideia, mas não foram meus pais.

Foi dentro de uma caixa de papelão que ela veio pra casa, enquanto a minha mãe falava com ela, a viralatinha olhava como se estivesse entendendo tudo o que ela estava falando, bom…talvez entendesse mesmo, porque não?

Essa pequenininha ganhou o nome de Kami, Kamikaze…era só colocar a Kami em cima da cama, virar pro lado e ela já tinha se jogado no chão pra ficar com você. Não existiria nenhum nome mais adequado do que esse, simples assim.

Bom, a Kami cresceu e ficou muito doentinha, teve tumores nas mamas, foi uma época bem difícil…Época de exames e mais exames, veterinários e cirurgia. A recuperação não foi fácil, segundo o veterinário eles “tinham tirado tudo”, mamas, ovários, útero e etc…O que importa é que ela se recuperou e ficou ótima.

Passaram-se 9 anos desde que ela operou, agora a Kami é uma idosinha, e com a idade os problemas aparecem ou se manifestam. A Kami sempre teve uma artrose moderada (sempre esteve dentro do seu peso correto e tem uma vida ativa), mas como disse a veterinária “A Kami envelheceu de uma vez o que não tinha envelhecido em 14 anos”. Agora, por conta da idade, a artrose agravou, ela tem seus probleminhas na coluna, como se fossem bicos de papagaio. Além disso, surgiram problemas neurológicos por conta da idade, que acabam inibindo a utilização coordenada dos músculos, ou seja, juntando isso com a artrose não deve ser nada fácil.

Essas últimas semanas temos passado por maratonas entre veterinários, neurologistas, UTI e exames. Absorver tudo isso não tem sido fácil, cheguei a conclusão que toda essa falta de informação que eu tinha em relação aos probleminhas que um cão idoso pode ter, outras pessoas com certeza teriam também. Então nos próximos dias vou compartilhar com vocês tudo o que eu for descobrindo e algumas condutas em relação a isso. Acho que conhecimento não ocupa espaço, então vamos tentar conhecer um pouquinho mais sobre esse mundo dos nossos idosinhos.

Bommm, e só pra vocês saberem, a Kami está respondendo super bem a todos os tratamentos, está andando mesmo com todas as suas limitações, pede colo e carinho (como seeempre), come bem, está se hidratando, tem um sono ótimo e se bobear ainda bota os outros pra correr!

Beijos,
Cris e Kami

Etiquetas

Cris Assanuma

Funcionária em período integral de 3 gatas e um cachorro que acha que é gato. Quando eles permitem sou artista visual, ilustradora e criadora de conteúdo. Compartilhamos um pouquinho da minha vida com a Sayuri, Karin, Yumi e Boss; dicas, passeios, eventos e o nosso lifestyle.

Artigos relacionados

Fechar